MZUSP - Museu de Zoologia da USP
19.57.18 - Ensino e formação

25/07/18, às 11h – Palestra SEAMLESS: Teoria Geral para Biogeografia de Continentes

A Pós-Graduação do MZUSP convida para a palestra:

“SEAMLESS: Teoria Geral para Biogeografia de Continentes”

Palestrante: Victor Alberto Tagliacollo, da Universidade Federal do Tocantins

Dia: 25/07/18, quarta-feira, às 11h, no Auditório do MZUSP (Av. Nazaré, 481, Ipiranga, São Paulo/ SP).

A teoria macroevolutiva propõe três processos que levam à diversificação da linhagem e à formação de biotas regionais: dispersão, especiação e extinção. A Teoria da Biogeografia da Ilha prevê valores de riqueza de espécies usando apenas dois desses processos; dispersão e extinção. No entanto, a maioria das espécies vive em continentes ou plataformas continentais, e as dinâmicas de diversificação evolutiva em escalas regional e continental são diferentes daquelas que governam a formação da riqueza de espécies em ilhas. SEAMLESS (Spatially Explicit Area Model of Landscape Evolution by SimulationS) é um modelo que simula diversificação de clados através do movimento de barreiras geográficas em uma paisagem contínua e neutra. Esse modelo prevê, através de um mecanismo simples, padrões biogeográficos e filogenéticos amplamente observados em táxons com distribuição continental. SEAMLESS prevê, por exemplo, que dispersão é necessária para manter a riqueza de espécies, que o tamanho da área ancestral não prevê a riqueza de espécies de uma clado, que a maioria das espécies possui distribuições restritas (endêmicas) e poucas espécies possuem distribuição amplas (cosmopolitas), entre outros padrões. SEAMLESS explica como o deslocamento de barreiras afeta a diversificação de linhagens e representa um avanço na formulação de uma Teoria Geral para Biogeografia de Continentes.