MZUSP - Museu de Zoologia da USP
15.27.19 - Exposições

20/03/2019, às 14 horas, Defesa da dissertação do pós-graduando Rafael Clayton de Jesus e Souza

No próximo dia 20 de março, quarta-feira, às 14 horas, no  Auditório do Museu de Zoologia da USP (Av. Nazaré, 481, Ipiranga, São Paulo/ SP), haverá a defesa da dissertação de mestrado do aluno Rafael Clayton de Jesus e Souza, orientado pela Profa. Dra. Sonia Aparecida Casari, do Programa de Pós-Graduação em Sistemática, Taxonomia Animal e Biodiversidade do Museu de Zoologia da USP, com o trabalho intitulado: “Análise Cladística de Incini Burmeister, 1842 (Coleoptera, Scarabaeidae, Cetoniinae)”.

Resumo

Incini Burmeister, 1842 é uma tribo neotropical de Scarabaeidae composta por cinco gêneros: Archedinus Morón & Krikken, 1990 (1), Coelocratus Burmeister & Schaum, 1841, Golinca Thomson, 1878 (1), Inca LePeletier & Serville, 1828 (7) e Pantodinus, Burmeister 1847 (1). Três espécies são sinonimizadas no gênero Golinca: G. davisii (Waterhouse, 1877), G. ishiharai Nagai, 1994 e G. trevisani Valois & Silva, 2015 são sinônimos novos de G. bifrons (Olivier, 1789), espécie tipo do gênero. No gênero Inca, duas mudanças de status são propostas para táxons incluídos anteriormente em Inca clathratus LePeletier & Serville, 1828, espécie tipo do gênero: I. sommeri Westwood, 1844, considerada sub-espécie, é reestabelecida ao nível de espécie, como descrito originalmente, e I. quesneli Boos & Ratcliffe, 1985 stat. nov. considerada subespécie é elevada ao nível de espécie. Uma nova espécie de Inca com ocorrência no Sul do Brasil está em processo de descrição e publicação, I. axeli sp. nov., que mesmo não sendo descrita no presente trabalho, é utilizada na filogenia por motivos práticos. A ánalise cladística de Incini foi realizada, recuperando o monofilia da tribo que é sustentada por 28 sinapomorfias sendo 11 delas homoplásticas e 17 exclusivas. A análise contou com 18 terminais (quinze no grupo interno e 3 do grupo externo) e 187 caracteres morfológicos. A busca exaustiva com pesagem igualitária de caracteres (EW) resultou em uma árvore mais parcimoniosa com 392 passos, IC= 54 e IR= 68. A topologia resultante recuperou Osmoderma eremita Scopoli, 1763 (Osmodermatini) como grupo-irmão de Incini, sustentado por 25 sinapomorfias, sendo 6 delas homoplásticas. O gênero Inca é monofilético e suportado por 22 sinapomorfias, sendo 7 delas homoplásticas. São disponibilizados mapas com a distribuição geográfica e novos registros de ocorrência das espécies da tribo, sendo importante salientar que I. quesneli teve seu registro de ocorrências ampliado, anteriormente considerado endêmico da ilha de Trindade (República de Trindade e Tobago), e agora resgistrada para a costa Nordeste do Brasil. Além do estudo morfológico geral, foi realizado uma comparação minuciosa entre os chifres clipeais de Inca e Golinca, resultando em nova terminologia usada para definir as áreas dos chifres laterais e inferir e a homologia dessas áreas entre as espécies.

Abstract

Incini Burmeister, 1842 is a neotropical Scarabaeidae tribe composite by five genera: Archedinus Morón & Krikken, 1990, Coelocratus Burmeister & Schaum, 1841, Golinca Thomson, 1878, Inca LePeletier & Serville, 1828 e Pantodinus, Burmeister 1847. Three new synonyms are proposed to the Golinca genus: G. davisii (Waterhouse, 1877), G. ishiharai Nagai, 1994 e G. trevisani Valois & Silva, 2015 are synonymyzed under G. bifrons (Olivier, 1789), type-species of genus. Related do genus Inca, two status change are proposed to the taxa previously included in Inca clathratus LePeletier & Serville, 1828, type-species of genus: I. sommeri Westwood, 1844, considered as subspecies is reestablished to the species level as originally described, and I. quesneli Boos & Ratcliffe, 1985 stat. nov., considered as subspecies is elevated to species level. A new Inca species recorded from South of Brazil is in description and publication process, I. axeli sp. nov., although not be described in this work, it is used in the phylogeny for practical reasons. The cladistics analysis of Incini recovered the monofiletism of the tribe supported by 28 synapomorphies, which 11 are homoplastic synapomorphies and 17 unique synapomorphies. The analysis was based on 18 terminal taxa (fifteen of innergroup and three of outgroup) and 187 morphological characters. The exhaustive search with equally weighted characters (EW) resulted in one most parsimonious tree with 392 steps, CI= 54 e RI=68. The resulting topology recovering Osmoderma eremita Scopoli, 1763 (Osmodermatini) as sister-group of Incini, sustained by 25 synapomorphies, which 6 are homoplastic synapomorphies. The genus Inca is monophyletic and supported by 22 synapomorphies, which 7 are homoplastic synapomorphies. Geographical distribution maps with new records and occurrence for the studied species are available, and it is important to point out that I. quesneli previously considered endemic of Trinidad’s Island (Republic of Trinidad and Tobago), had your occurrence record extended, for the the Brazil’s Northeast Coast. Besides the morphological study, a meticulous comparation of clypeal horns of Inca and Golinca was done, resulting in new terminology used to define the lateral horns areas and to define the homologies of this areas between the species.