MZUSP - Museu de Zoologia da USP
26.59.19 - Ensino e formação

01/07/2019, às 10 horas, defesa da tese do pós-graduando Juan Camilo Arredondo Salgar

No próximo dia 01 de julho, segunda-feira, às 10 horas, no  Auditório do Museu de Zoologia da USP (Av. Nazaré, 481, Ipiranga, São Paulo/SP) haverá a defesa da tese de doutorado do aluno Juan Camilo Arredondo Salgar, orientado pelo Prof. Dr. Hussam El Dine Zaher, do Programa de Pós-Graduação em Sistemática, Taxonomia Animal e Biodiversidade, do Museu de Zoologia da USP, com o trabalho intitulado: “Phylogenetic systematics and taxonomic review of the snakes of the
tribe Philodryadini Cope, 1886 (Dipsadidae: Xenodontinae)”.

Foto Juan Camilo

 

A Comissão Julgadora está composta pelos membros titulares abaixo:

Dr. Luís Fábio Silveira (Presidente) – MZUSP
Dra. Viviam Carlos Trevine – Instituto Butantan
Dra. Daniella Pereira Fagundes de França – Externo
Dr. Fausto Erritto Barbo – Universidade de Mogi das Cruzes
Dr. Felipe Gobbi Grazziotin – Instituto Butantan

Resumo

A tribo Philodryadini é composta por um rico grupo de serpentes neotropicais altamente diversas ecológica e morfologicamente. Na atualidade, 24 espécies fazem parte da tribo, sendo amplamente reconhecidas como um dos componentes comuns da diversidade de ofídio-fauna de América do Sul. As espécies que fazem parte de Philodryadini apresentam dois grandes padrões de distribuição geográfica, sendo que a grande maioria das especeis ocorrem nas terras baixas da região cis-Andina do continente americano, enquanto que um outro grupo não tão diverso distribui-se na região trans-Andina dos Andes centrais e do Sul, no Equador, Peru e Chile. O conhecimento da diversidade da tribo e das suas relações evolutivas tem variado muito nos últimos anos, principalmente pela recente formulação de diversas hipóteses filogenéticas baseadas em evidencia de biologia molecular. Do mesmo jeito, muitos complexos taxonómicos tem sido abordados recentemente e o estatus taxonómico de varias espécies esclarecido. No entanto, ainda se desconhecem muitas questões sobre o estatus de alguns complexos e as relações filogenéticas ao interior da tribo. Para entender as relações evolutivas entre Philodryadini e as demais tribos de Xenodontinae realizamos uma análise filogenética incluindo evidencia molecular de uma amostra representativa de todas as tribos da subfamília. Simultaneamente, avaliamos as relações ao interior de Philodryadini empregando sequencias de ADN da grande maioria das espécies da tribo descritas até o momento. De igual forma, realizamos uma revisão taxonómica das espécies da tribo, empregando uma combinação de variáveis morfológicas e moleculares. As nossas analises filogenéticas desvelaram que a tribo Philodryadini é um grupo não monofilético, estando na atualidade composto por duas linhagens diferentes de serpentes xenodontineas não relacionadas. Para fornecer uma estrutura filogenética que refletisse as relações das tribos ao interior da subfamília, erigimos uma nova tribo e um género novo para acomodar o grupo de espécies que constituía uma radiação completamente diferente de serpentes xenodontineas dos Andes. Já no interior de Philodryadini (sensu stricto), reconhecemos um padrão de diversificação particular, com um primeiro clado, composto por dois grupos (as cobras cipó e as cobras de focinho afiado da Amazônia), estreitamente relacionado com o clado que contem a espécie tipo de Philodryadini. Pra melhor representar o padrão de diversificação evolutivo ao interior da tribo, reestruturamos a sua composição genérica ao ressuscitar os géneros Chlorosoma e Xenoxybelis. Adicionalmente, com a nossa revisão taxonómica desvelamos o estatus taxonómico de três complexos de espécies reconhecemos a valides de quatro taxa previamente localizadas na sinonímia de Philodryas. Com o nosso estudo, as relações ao interior da tribo Philodryadini ficaram melhor resolvidas e a sua diversidade ficou constituída por três géneros e 24 espécies.

Abstract

The tribe Philodryadini is constituted by a rich group of neotropical snakes that are
highly diverse ecologically and morphologically. Currently, 24 species compose the
tribe, and are well recognized as one of the most common components of the ophidian
diversity of South America. The species of Philodryadini exhibits two great
geographical distribution patterns, with most species occurring in the lowlands of the
cis-Andean region of the American continent, while another not so diverse group is
distributed in the trans-Andean region of the central and southern Andes, in Ecuador,
Peru and Chile. The richness of the tribe and its evolutionary relationships has varied
greatly in recent years, mainly due to the recent formulation of diverse phylogenetic
hypotheses based on molecular evidence. In the same way, in recent years many
taxonomic complexes have been studied and the taxonomic status of several species
has been clarified. However, many questions about the status of some complexes and
phylogenetic relationships within the tribe are still unknown. To understand the
evolutionary relationships between Philodryadini and the other Xenodontinae tribes we
performed a phylogenetic analysis including molecular evidence of a representative
sample of all tribes of the subfamily. Simultaneously, we evaluated the relationships
within Philodryadini using DNA sequences from the vast majority of the species of the
tribe described so far. Likewise, we performed a taxonomic revision of the tribe
species, using a combination of morphological and molecular evidence. Our
phylogenetic analyzes revealed that the tribe Philodryadini is a non-monophyletic
group, and is currently composed of two different lineages of unrelated xenodontine
snakes. To provide a phylogenetic structure that reflected the relations of the tribes in
the interior of the subfamily, we erected a new tribe and a new genus to accommodate
the group of species that constituted a completely different radiation of xenodontine
snakes from the Andes. Within Philodryadini (sensu stricto), we recognize a particular
pattern of diversification, with a first clade, composed of two groups , closely related to
the clade that contains the type species of Philodryadini. To best represent the pattern
of evolutionary diversification within the tribe, we restructured its generic composition
by resurrecting the genera Chlorosoma and Xenoxybelis. Additionally, with our
taxonomic revision we resolve the taxonomic status of three species complexes and
recognize four taxa previously located in the synonymy of Philodryas. With our study, the relationships within Philodryadini are now better understand and their diversity is
currently consisted of three genera and 24 species.