MZUSP - Museu de Zoologia da USP
20.46.19 - Exposições

30/08/2019, às 13 horas, defesa da tese do pós-graduando Tarik Godoy Dangl Plaza

30/08/2019, às 13 horas, defesa da tese do pós-graduando Tarik Godoy Dangl Plaza

No próximo dia 30 de agosto, sexta-feira, às 13 horas, no Auditório do Prédio das Irmãzinhas (Av. Nazaré, 470, Ipiranga, São Paulo/SP) haverá a defesa da tese de doutorado do aluno Tarik Godoy Dangl Plaza, orientado pela Profª. Drª. Eliana Marques Cancello, do Programa de Pós-Graduação em Sistemática, Taxonomia Animal e Biodiversidade, do Museu de Zoologia da USP, com o trabalho intitulado: “Caracterização das guildas de cupins de uma área de Floresta Amazônica, Rondônia, Brasil”.

cupin_tarik

A Comissão Julgadora está composta pelos membros titulares abaixo:

Eliana Marques Cancello (Presidente) – MZUSP

Danilo Elias de Oliveira – UNIFESSPA

Alberto José Arab Olavarrieta  – UFABC

Ives Haifig – UFABC

Alexandre Vasconcellos – UFPB

RESUMO

Plaza, T.G.D. 2019. Caracterização das guildas de cupins em uma área de floresta amazônica, Rondônia, Brasil

Palavras-Chave: cupins, Guildas ecológicas, Floresta Amazônica

A aplicação do conceito de guildas é considerada especialmente útil em estudos ecológicos porque guildas agrupam organismos que têm significante sobreposição nos requerimentos do nicho e compartilham recursos. Classificações de guildas para Isoptera são inexistentes, com exceção de grupos funcionais ou grupos tróficos, dificultando análises detalhadas sobre estruturação de comunidades de cupins. Neste projeto, foram analisadas amostras de cupins coletadas durante uma extensiva replicação temporal (quatro anos) em uma região de Floresta Amazônica, Porto Velho, Rondônia, totalizando 152 espécies. Para elaborar a classificação em guildas, foram identificados caracteres comportamentais através de literatura e observações de campo. Adicionalmente, um estudo morfológico detalhado foi realizado utilizando 30 indivíduos pertencentes a cinco colônias independentes de cada espécie para cada uma das castas (operários e soldados), incluindo também um estudo morfométrico e um estudo de morfologia de válvulas entéricas. Todas informações foram compiladas em matrizes e um protocolo de análise foi proposto para classificação das guildas. Devido a lacuna de informações, foram eliminadas das análises espécies com dados ausentes nas matrizes de dados, deixando a matriz final com 99 espécies. Para determinar a contribuição das variáveis, foi utilizado a análise FAMD (Análise Fatorial de Dados Mistos), selecionando variáveis importantes para análise de guildas. As matrizes foram separadas em grupos (soldados ou operários) e uma ordenação foi usada para determinar a posição das espécies no espaço multivariado, utilizando blocos de variáveis via MFA (Análise Multifatorial). Para descrever as guildas, foi empregado uma análise HCPC (Agrupamento Hierárquico de Componentes Principais) usando os cinco primeiros eixos derivados da MFA. Como resultado, foram identificados seis grupos para soldados e sete grupos para operários, representando 10 guildas ecológicas a partir da consolidação das duas classificações (operários e soldados). O tipo de alimentação, o local da colônia, a forma de forrageamento, a morfologia da mandíbula de soldados e os espinhos presentes nas válvulas entéricas foram as variáveis que mais contribuíram para delimitação dos agrupamentos. Foi encontrado um sinal filogenético forte na classificação. A composição das 99 espécies em 10 guildas ecológicas e a descrição das guildas representa uma nova proposta em ecologia de cupins, criando grupos que poderão ser testados para comparações entre ambientes. Além disso, a elaboração de guildas neste estudo é um primeiro passo para uma melhor compreensão dos cupins no habitat que vivem e na relação ecológica entre as diferentes regiões neotropicais.

 

ABSTRACT

Plaza, T.G.D. 2019. Characterization of termite guilds in an area of Amazon Rainforest, Rondônia, Brazil

Key-Words: Termites, Ecologic guilds, Amazon Rainforest, Isoptera, Morphology.

Application of the concept of guilds is considered especially useful in ecological studies because guilds group together organisms that have significant overlap in niche requirements and share resources. Guild ratings for Isoptera are non-existent except for functional groups or trophic groups, making detailed analysis of termite community structuring difficult. In this project, termites collected during an extensive temporal replication (four years) were analyzed in a region of the Amazon Rainforest, Porto Velho, Rondônia, totaling 152 species. To develop guild classification, behavioral characters were identified through literature and field observations. Additionally, a detailed morphological study was performed using 30 individuals belonging to five independent colonies of each species for each of the castes (workers and soldiers), including also a morphometric study and an enteric valve morphology study. All information was compiled into matrices and an analysis protocol was proposed for guild classification. Due to the information gap, species with missing data in the data matrices were eliminated from the analyzes, leaving the final matrix with 99 species. To determine the contribution of the variables, FAMD (Factor Analysis of Mixed Data) analysis was used, selecting important variables for guild analysis. The matrices were separated into groups (soldiers or workers) and an ordering was used to determine the position of species in the multivariate space using variable blocks via MFA (Multi Factor Analysis). To describe the guilds, a Hierarchical Grouping on Principal Components (HCPC) analysis was employed using the first five axes derived from the MFA. As a result, six groups for soldiers and seven groups for workers were identified, representing 10 ecological guilds from the consolidation of the two classifications (workers and soldiers). The type of feeding, the colony site, the foraging form, the jaw morphology of the soldiers and the thorns present in the enteric valves were the variables that most contributed to the delimitation of the clusters. A strong phylogenetic signal was found in the classification. The composition of the 99 species in 10 ecological guilds and the description of guilds represents a new proposal in termite ecology, creating groups that can be tested for comparisons between environments. In addition, guild design in this study is a first step towards a better understanding of termites in the living habitat and the ecological relationship between different neotropical regions.