MZUSP - Museu de Zoologia da USP
+ Entomologia

Hymenoptera

Principal Linha de Pesquisa
Sistemática, evolução e biologia de Hymenoptera
Prof. Dr. Carlos Roberto Ferreira Brandão
Fone: (11) 2065-8138
Dados da Coleção
A coleção de Hymenoptera do Museu de Zoologia reúne importante acervo de vespas em geral, formigas e abelhas, resultante de aquisições, trocas com outras instituições e coleta  pelos pesquisadores que aqui trabalharam ou trabalham. Os primeiros registros de depósito de espécimes de Hymenoptera no MZUSP correspondem ao material coletado por Hermann von Lüderwaldt e Hermann von Ihering no início do século XX, quando as coleções ainda pertenciam ao Museu Paulista da Universidade de São Paulo (conhecido como Museu do Ipiranga), como parte da sua seção de Zoologia. Estes pesquisadores mantinham laços estreitos com colegas do exterior, intercambiando material com seus colegas europeus e norte-americanos como Carlo Emery, Auguste Forel, Felix Santschi, William M. Wheeler, Gustav Mayr, Carlo Menozzi e Marion R. Smith. Várias espécies coletadas no Brasil foram descritas pelos autores citados acima que regularmente enviavam os espécimes-tipo de volta a São Paulo. Em 1939, a seção de Zoologia do Museu Paulista foi transferida para a Secretaria de Agricultura e Comércio do Estado de São Paulo como seu “Departamento de Zoologia”, em um prédio planejado para receber coleções e laboratórios localizado na mesma quadra onde o Museu Paulista está localizado. Em 1969, o Departamento de Zoologia foi transferido para a Universidade de São Paulo, assim como seu Museu de Zoologia. Entre os esforços recentes que mais contribuíram para a expansão da coleção de Hymenoptera, destaca-se o projeto “Riqueza e Diversidade de Hymenoptera e Isoptera ao Longo de um Gradiente Latitudinal na Mata Atlântica – A Floresta Pluvial do Leste do Brasil” (1999-2005), do Programa BIOTA-FAPESP, no qual foi inventariada a fauna destes insetos ao longo da Mata Atlântica em toda porção leste do país. Outros projetos importantes incluem o Programa de Monitoramento da Ferrovia Norte-Sul e as Avaliações Rápidas de Impacto Ambiental no Estado do Tocantins (2003-2006). Nestas expedições tem sido inventariada a fauna de Hymenoptera em diversos biomas e estratos ambientais, através do emprego de diferentes técnicas de coleta. Os vários grupos de Hymenoptera parasitóides são relativamente pouco representados nas coleções do MZUSP, mas este panorama que é comum às outras instituições brasileiras que mantém acervo biológico, está se alterando rapidamente, a partir de coletas recentes e de trabalhos de revisão de diversos grupos destes insetos. A coleção de abelhas representa uma área considerável do território brasileiro, mas está formada principalmente por material originário do Estado de São Paulo. Coletas realizadas por K. Lenko, E. Garbe e outros, no interior do Estado (metade do século passado) e por W. Wilms (final do século passado) na Estação Ecológica de Boracéia contribuíram muito para o enriquecimento da coleção. C. Schrottky depositou aqui inúmeros tipos. A coleção de abelhas do MZUSP é uma das três maiores coleções do país e fornece informações e material relevante para melitólogos em seus estudos revisionários de sistemática e taxonomia. O acervo de vespas aculeadas destaca-se pela representatividade de certos grupos como Chrysididae, Mutillidae (formigas-feiticeiras), Vespidae (vespas enxameantes), Pompilidae e principalmente Sphecidae e Crabronidae. A coleção de Formicidae do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo é a mais representativa da região Neotropical, tanto pelo número de espécimes-tipo quanto pela imensa quantidade de espécies nela depositada provenientes de uma área geográfica consideravelmente ampla. Sua história se confunde com a história da Mirmecologia na Região Neotropical, pois aqui forma reunidas as mais importantes coleções, organizadas por W. Kempf, T. Borgmeier e K. Lenko. A biblioteca e a coleção de formigas Borgmeier-Kempf foram adquiridas pelo MZSP através de um auxílio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), em nome do Dr. Nelson Papavero, responsável pela seção de Entomologia do museu em 1977. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) financiou o transporte da coleção, da biblioteca e dos equipamentos ópticos desde Brasília até a capital paulista.